Dormir ou produzir?

0 comentários

Hoje em dia os brasileiros dormem cerca de 1h30 a menos do que na década de 90 e, segundo a Agência Brasil, 65% dos brasileiros possuem algum problema relacionado ao sono.

Tudo isso é, na verdade, fruto de muita coisa, desde a evolução dos dispositivos digitais e o modo como nos relacionamos com eles até mesmo o crescimento de demandas e tendências que imprimem nas pessoas o desejo de estar sempre em produção e aos poucos cortarem momentos de lazer com o medo de passarem a se sentir reduzidos a inutilidade. 

Infelizmente, além da privação do tempo de qualidade em família, amigos e a prática do autoconhecimento, o sono é um fator que está sendo diretamente afetado por conta disso. Acontece que, quando o sono é atingido, todo o corpo paga a pena.

Arrasta pra cima!
Mais do que nunca, nos últimos dias temos visto movimentações na internet que convidam todos mundo a ‘’arrastar pra cima’’ e se inscrever no último curso sobre como produzir melhor, abrir mais empresas, ganhar mais dinheiro e um monte de outras coisas que estão inteiramente ligadas ao trabalho.O perigo de tudo isso é quando, na melhor das intenções, as pessoas acabam ficando tão entregues a obrigação de serem produtivas que acabem entrando no campo dos workaholics e passando muitas vezes até a validar suas emoções no quanto elas estão rendendo em seus trabalhos e inconscientemente se colocam em um ciclo viciante.


Afinal, o que são os workaholics?
O termo workaholic possui uma conotação não muito positiva, na verdade é a descrição para o vício de um trabalhador incontido que não consegue exercer com liberdade outras atividades. 

Por algum tempo o título foi usado para um fim mais cool e motivacional por conta da inspiração que os grandes empresários traziam ao declarar publicamente que trabalhar mais e sacrificar os conceitos de lazer estariam ajudando o mundo a acelerar os processos tecnológicos para trazer mais conforto e segurança mesmo que indiretamente. Ainda hoje é comum ouvir algumas pessoas se alegrando com esse rótulo, o problema na verdade não é trabalhar e ir atrás dos objetivos e do bem coletivo - não mesmo -, o real problema é quando em nome do trabalho deixamos de passar tempo com quem amamos, começamos a nos alimentar sem regra alguma e reduzimos as horas de sono para trabalhar.

 E inconscientemente dizer que estão trabalhando mais do que qualquer outra coisa trás uma sensação aparentemente boa, findando sempre em algo que beira a crise de burnout.

Christina Maslach, professora emérita de psicologia da Universidade da Califórnia em Berkeley, nos EUA faz uma colocação interessante:

‘’Séculos atrás, os caras faziam duelos e ficavam com uma cicatriz de combate, que é quase uma espécie de medalha de honra. Você lutou e sobreviveu, é quando você se gaba: Sim, eu não durmo. É esse tipo de coisa."

Trabalhe bastante e descanse bem
Antes de qualquer coisa acho legal a gente deixar bem claro que somos do time dos que trabalham também, e já fica aqui o nosso incentivo para você ir atrás dos seus sonhos e objetivos com foco e coragem!

 O que acontece é que precisamos estar sempre atentos a nossa saúde em tudo o que estivermos fazendo e levar muito em consideração o modo como estamos lidando com nosso sono, afinal, a comunidade médica aponta o cuidado que devemos ter com esse período que, quando não bem aproveitado pode resultar em doenças graves como complicações cardiorrespiratórias, diabetes, câncer e até mesmo depressão.

Saia do modo zumbi
Todo esse excesso de demandas e padrões que corremos atrás de nos enquadrar acabam por muitas vezes nos empurrando para um lugar de ansiedade e perda de sono. 

Quando a gente se ocupa em produzir além das medidas e deixamos o sono de lado estamos colocando todo nosso organismo em um ringue contra um oponente 10 vezes mais forte, o tempo em que passamos dormindo é crucial para a recuperação muscular, reprogramação das memórias e renovação de células, quando não descansamos começam a se tornar aparentes as dores nas articulações, peso nas pálpebras, inchaço no rosto, enxaquecas e além de todo desgaste físico, as nossas condições mentais são muito afetadas.

Afinal, quando não cumprimos todas as fases do sono acabamos tardando os processos de regeneração natural no nosso corpo, por isso, clicando aqui você pode conhecer como cuidar bem do sono em 5 passos


A associação Brasileira da medicina do sono aponta 10 medidas que podemos tomar sobre o sono:

  1. Horário regular para dormir e despertar.
  2. Ir para a cama somente na hora dormir.
  3. Ambiente saudável.
  4. Não fazer uso de álcool próximo ao horário de dormir.
  5. Não fazer uso de medicamentos para dormir sem orientação médica.
  6. Não exagerar em café, chá e refrigerante.
  7. Atividade física em horários adequados e nunca próximo à hora de dormir.
  8. Jantar moderadamente em horário regular e adequado.
  9. Não levar problemas para a cama.
  10. Atividades repousantes e relaxantes após o jantar.

Mais dicas para o soninho de beleza você encontra aqui, você pode realinhar seus ritmos biológicos com esses cuidados combinados também com a Dn¹.







 

Deixe um comentário

Todos os comentários do blog são verificados antes da publicação

Olá!

Gostamos de manter você bem informado, por isto cadastre aqui seu email para continuar a acessar nosso blog.


Ao assinar, você concorda com a nossa política de privacidade.

[time], [location].
Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site. Ao clicar em aceitar, você concorda com a nossa Política de Privacidade
Inscrição realizada com sucesso!
Este e-mail já foi registrado.
Newsletter